Delegado Wellington apresenta projeto de combate a fome para fundador da ONG fraternidade sem fronteiras

O fundador e presidente da Organização humanitária Fraternidade sem Fronteiras, Wagner Moura, foi convidado para falar na sessão da Câmara Municipal durante sessão ordinária desta terça-feira (30), na oportunidade o vereador Delegado Wellington parabenizou pela iniciativa e apresentou a lei de sua autoria que prevê a redistribuição de alimentos para entidades de caráter assistencial.

“Primeiramente quero parabenizar pelo lindo trabalho desenvolvido. E quero dizer que na segurança pública tratamos o crime como um evento social, e esse evento ocorre muitas vezes por falta de emprego, falta de alimentação, falta de moradia. E por ele ser um evento social, temos que trabalhar as causas sociais, para então se trabalhar a repressão. É difícil explicar para uma pessoa que tem fome que ela não pode furtar ou roubar, quando na verdade ela está com uma necessidade fisiológica que é a fome”, indagou o parlamentar.

Ainda em sua fala, Delegado Wellington apresentou para o presidente da organização humanitária a lei de sua autoria, sancionada recentemente, que prevê a redistribuição de alimentos excedentes e próprios para consumo de mercados, supermercados, mercearia, hortifruti e similares para entidades de cunho social.

“Esta Casa de Leis é extremamente sensível a essa temática, dia dois de setembro deste ano, foi sancionado pelo Executivo Municipal, um projeto de lei de minha autoria que cria o programa de redistribuição de alimentos excedentes de supermercados. Esse projeto é de extrema importância, pois sabemos que a fome acontece em todo mundo, inclusive aqui em Campo Grande, e muitas vezes alimentos que poderiam ser reaproveitados vão parar no lixo, logo o projeto aprovado por esta casa da garantia aos supermercados para pegar os alimentos excedentes aptos para o consumo e entregar aos órgãos assistenciais que vão preparar e destinar a pessoas em situação de vulnerabilidade”, explicou Delegado Wellington.

A ONG Fraternidade sem Fronteiras foi fundada em Campo Grande, em 2009, e hoje une milhares de pessoas de todo o Brasil e de diversos países do mundo pelo ideal de ajudar a acabar com a fome e semear no mundo uma mentalidade fraterna.

Os projetos humanitários da ong estão na África e no Brasil, onde também apoia o trabalho de outras entidades. Em Campo Grande, a Fraternidade sem Fronteiras é parceira da Clínica da Alma, que trata de dependentes químicos, e mantém a Orquestra Filarmônica Jovem Emmanuel, que oferece aulas de instrução musical a crianças da periferia, gratuitamente.