No 1º mandato, Delegado Wellington protocola mais de 145 projetos

Em seu primeiro mandato legislativo, Delegado Wellington (PSDB) se tornou referência entre os parlamentares da Capital, durante as sessões ordinárias realizadas na Câmara Municipal, o parlamentar já protocolou mais de 145 projetos de lei e apresentou mais de 13.500 indicações de melhorias para em diversas áreas, dos 74 bairros da Capital.

Líder do PSDB na Câmara, Delegado Wellington que preside a Comissão Permanente de Segurança Pública na Câmara Municipal, classifica se mandato como positivo, buscando sempre atender os anseios da população.

“Tenho trabalhado muito desde o primeiro dia de legislatura, os números não me deixam mentir, porém ainda há muito o que ser realizado. Diariamente, através do meu gabinete itinerante percorro todas as regiões da cidade colhendo reivindicações e ouvindo sugestões da população. Vamos continuar com o trabalho do gabinete itinerante, pois a melhor forma de legislar é mantendo contato direto com a população, além de apresentar bons projetos de interesse geral”, destaca o parlamentar.

Enquanto vereador, Delegado Wellington tem como principal plataforma de trabalho a implementação de Políticas de Segurança Pública Integrada, a qual já conseguiu a aprovação da Lei 5.865/17 de sua autoria, que institui o Plano Municipal de Segurança Pública, integrando saúde, educação e segurança de uma maneira que interligados os segmentos se fortalecem e geram benefícios a toda população. Além disso Delegado Wellington é Presidente da Comissão Permanente de Segurança Pública e integrante das Comissões Permanentes Antidrogas; Meio ambiente; Bens e Serviços Públicos; Educação e Desporto na Casa de Leis Municipal.

Entre as ações realizadas em 2019, destaca-se a Lei Nº 6.233 sancionada pelo Executivo Municipal, de autoria do vereador Delegado Wellington, que regulamenta a uso do narguilé em locais públicos da Capital.

Também de autoria do parlamentar, foi sancionada a Lei Nº 6.225/19 proibindo que pontos dos programas de milhagem recebidos por agentes políticos ou servidores públicos em viagens oficiais custeadas com recursos públicos sejam utilizados para viagens particular.