Delegado Wellington defende a atuação de trabalhadores ambulantes no centro da Capital

A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) reforçou a fiscalização no centro de Campo Grande para inibir que vendedores ambulantes fiquem pelas calçadas, a pedido da CDL (Câmara de Dirigente Lojistas). A ação, foi contestada pelo vereador Delegado Wellington (PSDB), devido ao novo momento causado pela pandemia da COVID-19, onde muitos cidadãos perderam o emprego e estão migrando para a informalidade.

“Durante a eleição não existia esse problema e os ambulantes trabalhavam em paz. Temos que repensar a forma de tratamento aos ambulantes, pois o ambulante hoje em dia é o cidadão que antes da pandemia tinha um emprego fixo, que não está conseguindo se realocar no mercado de trabalho, e vê na informalidade uma forma de ganhar a vida”, destacou Delegado Wellington.

Ainda segundo o parlamentar, antes de fazer o famoso “rapa”, é necessário capacitar e oferecer assistências a esses trabalhadores. “Já que os ambulantes não podem vender seus produtos, o poder público precisa garantir dignidade a essas pessoas, oferecendo capacitação, cestas básicas, encaminhamento para o mercado de trabalho ou estender o PROINC a esses cidadãos, pois eles precisam continuar comendo e pagando suas contas. O modelo de ambulante que existia outrora não é o mesmo de hoje”, argumentou.

Ainda preocupado com a dignidade da pessoa humana, Delegado Wellington citou o plano municipal de segurança pública para alertar que medidas isoladas para a retirada dos ambulantes do centro da cidade, acarretará em possíveis problemas de segurança.

“Somente retirar os ambulantes e confiscar mercadorias não resolve o problema. Essa situação em ultima analise acaba sendo um problema de segurança pública, pois o cidadão que perde o emprego, não pode vender suas mercadorias de forma honesta, não consegue voltar ao mercado de trabalho, acaba vendo no furto ou roubo a única solução dos problemas. Portanto como é previsto no plano municipal de segurança pública, todos os problemas em sociedade devem ser resolvidos de forma integrada, com todas as pastas fazendo sua parte”, concluiu o parlamentar.